Love – Food – Travels

Love – Food – Travels

O Natal está mesmo aí à porta e, para muitos de nós imigrantes, esta é uma das épocas mais ansiadas do ano.


Houve imensas questões e dúvidas sobre o ir ou não ir a casa. Conseguimos ir no Verão, quando as coisas estavam “melhores” e evitar quarentenas ao voltar.

Entretanto em Novembro, no Reino Unido, foram proibidas todas as viagens de lazer. A situação tão instável e sempre com novas regras a serem deitadas cá para fora, voos cancelados e a quarentena obrigatória no regresso, fez-nos pensar um muito sobre o que fazer na próxima semana.

Nunca passei o Natal fora.

Sei que sou uma felizarda que, por ser self employed, tenho a facilidade de gerir os meus dias de Férias à minha medida. Como tal, sempre fiz questão de estar em casa nesta quadra.

Por esse e outros motivos familiares, que pesaram muito na equação, decidimos ir na mesma.

Para mim, os 5 ou 10 dias, que vão ter de ser passados em casa no regresso, são bem empregues, por passar estes próximos em casa.


Tal como fiz no Verão, não estou com algumas pessoas mais vulneráveis da família sem um resultado negativo do PCR, mais por descargo de consciência que outra coisa.

Se, no início da pandemia, me preocuparam as poucas medidas tomadas em antecipado na minha profissão, agora acho que estamos já no extremo oposto.

Confesso que, apesar de não gostar nada da forma de trabalhar nestes últimos tempos, sinto-me muito mais segura e protegida do que nunca, pois houve um (muito necessitado) upgrade nos protocolos de higiene e segurança.

De resto, como em tudo neste momento, há apenas que imperar o bom senso. Cumprir e respeitar as regras e os outros não é ( ou não devia ser), assim tão complicado.

Como ainda não há filhos , uma viagem a dois, com zaragatoas e afins pelo meio, não se torna tão complicada de gerir.

Ainda para mais, pela primeira vez, decidimos aventurar-nos a fazer a viagem de carro.

Os aeroportos estão, por norma, mais confusos nesta época do ano, os voos caríssimos e cheios e com muitas alterações.

Como tal, consideramos esta opção, que encarámos como uma pequena aventura.

Aguardam-nos 2295 km e 23 horas de viagem, de Doncaster ao Porto.

A musica “Driving home for Christmas” nunca fez tanto sentido.

[imagem do vectorstock]

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A autora - Margarida

Portuguesa em Doncaster.

Médica Dentista de Dia || Blogger, viajante e entusiasta da cozinha nos tempos livres

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

EnglishPortuguese

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website.