Love – Food – Travels

Love – Food – Travels

Quando me mudei, em Setembro de 2015 para o Reino Unido, estava longe de imaginar o que vinha encontrar por estes lados. Já dizia a música ” the grass is always greener on the other side” e é sempre esse o pressuposto de qualquer mudança. Neste caso, não posso dizer que se tenha revelado assim tão greener quanto isso.

Contextualizando.

Aos dezoito anos, quando troquei a casa dos meus pais, nos arredores rurais do Barreiro, para viver sozinha no centro do Porto, o mundo mudou. O Porto passou a ser a melhor cidade do mundo; não conseguia sequer conceber a ideia (surreal) de voltar para a pasmaceira do Barreiro. Por isso, ao acabar o curso, lá fiquei. E consegui aguentar quase três anos, em grande parte pelo facto do meu actual futuro marido ser de lá. Mas ninguém vive só de amor e uma cabana (apesar de ainda estar a tentar mudar isso!) e a minha insatisfação profissional começou a falar mais alto, fazendo com que eu me mudasse, sozinha, para Inglaterra.

Quando se pensa neste país, só vem Londres à ideia. Pois, onde eu estou, não tem nada a ver. Ironia do destino, talvez, vim parar a uma cidade perdida no meio do nada.

Scunthorpe é uma cidade industrial e a segunda com maior índice de poluição atmosférica, segundo um recente estudo. Está localizada no North Lincolnshire, zona este do país, pertencente às Midlands. Sim, eu sei: parece que estou a falar de sítios saídos do Sr. dos Anéis. Mas não. É uma cidade supostamente grande mas que, a meu ver, é minúscula. Ou seja, tem imensa população ( bastantes imigrantes ) mas muito, mesmo muito, pouco comércio e estabelecimentos. Portanto, para quem achava que voltar à cidade natal seria um convite ao tédio, podem imaginar a minha decepção com este sitio.

Em boa verdade, só vim aqui parar porque fui trabalhar para o pé de um grande amigo da faculdade. Apesar de nunca nos cruzarmos nas clínicas , o facto de vivermos na mesma cidade fui crucial para eu me ter adaptado a estar aqui sozinha.

E, por esse mesmo motivo, em nada me arrependo de o ter feito. Ao longo destes anos tive imensas aventuras e uma amostra bem interessante do que é, de facto, viver em Inglaterra. Espero partilhar aqui algumas peripécias, acompanhadas das minhas opiniões (bastante) pessoais.

Stay tunned 😉

P.S: caso alguém se tenha questionado, a escolha da fotografia não foi ao acaso. Nesta altura do ano, os campos deste país estão completamente cobertos de narcisos (ou daffodils) e esta é, talvez, uma das minhas paisagens preferidas por estes lados.

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A autora - Margarida

Portuguesa em Doncaster.

Médica Dentista de Dia || Blogger, viajante e entusiasta da cozinha nos tempos livres

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

EnglishPortuguese

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website.