Resenhas · Travel

Under The Tuscan Sun #1

Voltar das férias para uma Inglaterra quente faz-me querer ir já embora de novo.

Nada contra o calor por estas bandas (nada mesmo!) mas, de facto, há países bem melhores por onde aproveitar o Verão. A nossa eleição,  no final de Julho do ano passado, recaiu sobre as belíssimas zonas da Toscana e Ligúria. Itália é, sem dúvida, um dos países mais versáteis e que consegue agradar a todos os gostos. Desde a cultura à gastronomia, passando pelas paisagens naturais e vilas mágicas, tem um pouco de tudo. Nós decidimos encontrar-nos em Pisa, pois era para onde haviam voos low cost em conta : ele saiu de Lisboa, eu de Manchester.

Pisa é um excelente ponto de partida para descobrir a região da Toscana. Do aeroporto apanha-se um comboio que leva 15 minutos e nos deixa a cerca de 15 minutos a pé do centro da cidade. Não há muito para ver além da famosa Torre Inclinada. O Mural Tuttomondo do Keith Haring, é um ponto obrigatório para quem gostar de Street Art, e de fácil acesso, a dois minutos da estação de comboio.

Optámos por não perder uma noite por Pisa e apanhar o comboio directamente para Firenze, ou Florença, onde passámos as cinco noites seguintes, e que foi o nosso ponto de partida para explorar a zona. Tivemos dois dias inteiros só por Florença e ficou a faltar ver muita coisa. Esta é uma das mais fascinantes cidades de Itália. Além de todo o peso histórico que está cravado por toda a cidade, as suas ruas, as pessoas, o Rio exalam uma aura muito única. É considerada, por muitos, uma das cidades mais românticas do mundo. Vale a pena perder tempo a conhecer Florença. Consoante o objectivo da viagem, há museus para ocupar os dias todos. Não era o nosso objectivo e, como tal, optámos apenas por ir à Catedral de Santa Maria del Fiore, mundialmente conhecida pelo famoso Duomo de Brunelleschi. O bilhete custa 18€ e dá acesso ao interior da Catedral, do Batistério, cripta, campanário e Museu da Ópera do Duomo. Uma dica importante é que, se fizerem questão de subir ao Duomo, pode ser necessária uma pré reserva, principalmente no Verão. Nós ficamos pela subida dos 414 degraus do campanário! Aqui o Duomo é a estrela e merece ser bem apreciado. Uma das coisas que mais gostei foi que, de quase todas as partes da cidade, conseguíamos ver uma perspectiva da imponente cúpula. Ainda não referi que andámos sempre a pé. Mesmo. Nada de táxis, Uber ou autocarros. Palmilhámos a cidade de uma ponta à outra e foi a melhor coisa que fizemos.

Uma das mais famosas praças é a Piazza della Signoria, onde se encontra o Palazzo Vecchio, outro dos símbolos da cidade, que também é, desde sempre, a sua câmara municipal. Nessa praça pode ainda admirar-se a Fonte de Neptuno e réplicas de várias esculturas, entre elas do famoso David de Michelangelo. Se quiserem muito ver o original, encontra-se no Museu dell’Accademia, se preferirem ver a famosa Vénus ou apreciar algumas obras de Da Vinci, como a Anunciação e a Adoração dos Magos, não deixem de visitar as Galerias de Uffizi (que vão ter de ficar para umas próxima visita!).

Atravessar a Ponte Vecchio também é uma experiência a não perder. Erguida no século I antes de Cristo, está repleta de joalharias e ourives e é a ponte mais bonita sobre o rio Arno. Logo após atravessar esta ponte encontra-se o Palazzo Pitti, a mais majestosa residência de Florença que tem uns jardins com mais de 45.000 m2.

Um dos meus lugares de eleição foi a Piazzale Michelangelo. Apesar de ter rogado pragas ao TripAdvisor por não referir a imensidão de escadas que temos de subir, ao fim de mais de uma hora a caminhar ao longo do rio, ao lá chegar e ver a vista, tudo é esquecido. Vale muito a pena o exercício pois deve ser, sem duvida, a melhor vista sobre Florença.

Aproveitámos também para deambular pela cidade durante a noite e apreciar a magia que ela ganha com a iluminação dos monumentos. E claro, se não são vegetarianos, é obrigatório experimentar a famosa Bistecca alla Fiorentina. Foi um dos melhores nacos de carne que já comi até hoje. Nós jantámos esta iguaria na Osteria All’Antico Mercato (já recomendei a uma amiga e ela gostou da dica!). Para sobremesa nunca há muito que enganar, visto que os gelados são fabulosos em qualquer parte de Itália!

E aqui fica um resumo (bastante alongado) dos nossos dias por Florença. No próximo post falo-vos das outras cidades que visitamos pela Toscana.

Alguém consegue adivinhar quais foram?!

One thought on “Under The Tuscan Sun #1

Deixar uma resposta